Rio 2016

Polícia Federal quer incluir obras olímpicas em investigações da Operação Lava Jato

PF pensa que algumas empreiteiras podem ter cometido irregularidades para conseguir contratos
26/11/2015 11:03 - Atualizado em 26/11/2015 11:14
Por ahe!
RIO

Demorou, mas a operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF), chegou aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro de 2016. Autoridades pretendem investigar alguns contratados relacionados ao maior evento esportivo do mundo.

- Em todas as situações em que alguma investigação foi feita nas contratações dessas empresas esse modelo de corrupção se repetiu - afirmou o delegado Igor Romário de Paula, à agência internacional de notícias Reuters: - É possível que tenha se repetido também para as obras da Olimpíada de 2016.

A Lava Jato está investigando um esquema de corrupção na Petrobras envolvendo algumas empreiteiras, com o pagamento de propinas para executivos da empresa estatal e políticos para obter algumas licitações. Por isso, a Polícia Federal acredita que algumas das responsáveis pelas obras dos Jogos podem ter cometido irregularidades para conseguir os contratos das obras olímpicas.

Segundo o delegado, pode ter havido o acerto de preços e novos pagamentos de propinas também relacionados às obras dos Jogos. 
Até o momento, contudo, não existem provas que incriminem qualquer empresa ou pessoa.

Das cerca de 30 empresas sendo investigadas pela Controladoria-Geral da União (CGU), cinco estão construindo a maior parte das instalações esportivas e de infraestrutura da Olimpíada do Rio de Janeiro: Odebrecht, OAS, Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão e Carioca Christiani Nielsen Engenharia. Odebrecht e Andrade Gutierrez se recusaram a comentar as declarações do delegado. 

A Prefeitura do Rio, por sua vez, disse que todos os contratos são transparentes e se colocou à disposição das autoridades para qualquer esclarecimento.
 


compartilhar no