Paradesporto

Oscar Pistorius será julgado em novembro e pode pegar gancho muito mais pesado

Sul-africano foi considerado culpado por homicídio doloso de Reeva Steenkamp
22/09/2015 17:53 - Atualizado em 22/09/2015 18:28
Por ahe!
RIO

Oscar Pistorius foi o primeiro biamputado a disputar uma edição de Jogos Olímpicos - AFPO velocista paraolímpico Oscar Pistorius considerado culpado pelo homicídio doloso (sem intenção de matar) de sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp, pode pegar uma pena bem mais pesada. No dia 3 de novembro deste ano, ele volta ao banco dos réus e sua condenação pode ser tipificada como homicídio doloso, quando há intenção de matar.

Pistorius está preso desde outubro do ano passado para, inicialmente, cumprir os cinco anos de reclusão que foram impostos pela Justiça. Mas um recurso movido pela promotoria pode acrescer dez anos em sua pena. No último mês, o campeão paralímpico nos 100m, 200m e 400m teve o pedido de liberdade condicional negado. Apesar disso, uma comissão de revisão da condicional se reunirá na próxima semana para confirmar se o atleta pode ser liberado para cumprir prisão domiciliar.

Há dois anos, Oscar Pistorius, primeiro biamputado a competir nos Jogos Olímpicos (Londres 2012), assassinou a namorada com quatro tiros disparados através da porta do banheiro de sua própria residência. O sul-africano, para tentar se defender no tribunal, alegou ter confundido a modelo com um assaltante e, por esse motivo, efetuou os disparos.

A juíza do caso, Thokozile Masipa, considerou que Pistorius matou Reeva por acidente ao disparar quatro tiros contra a porta do banheiro onde a modelo estava. Masipa afirmou que o atleta agiu de forma "negligente" e "com força desproporcional", mas "acreditando que havia um intruso" na casa, como o réu sempre alegou. Desta maneira, ele foi inocentado da acusação mais grave que pesava contra ele, a de assassinato premeditado.

Veja mais: Mascotes dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos ganham série no Cartoon Network


compartilhar no