Vôlei

Capitã da seleção feminina revela ter sido vítima de racismo na Superliga

Fabiana, do Sesi-SP, conta ter sido chamada de 'macaca' por um torcedor do Minas
28/01/2015 11:39 - Atualizado em 28/01/2015 13:08
Por ahe!
RIO

Foto: Divulgação / Sesi-SPFabiana Claudino, central do Sesi-SP e capitã da seleção brasileira feminina, revelou ter sido vítima de racismo na derrota da sua equipe para o Camponesa/Minas (MG), por 3 sets a 1, nesta terça-feira, em Belo Horizonte, pela Superliga feminina.

Em desabafo nas redes sociais, Fabiana relatou que um "senhor" na arquibancada proferiu expressões como "macaca quer banana", "macaca joga banana", entre outras, em sua direção. 

De acordo com ela, seguranças do Minas Tênis Clube retiraram a pessoa do ginásio, encaminhando-a à delegacia.

- Eu não preciso ser respeitada por ser bicampeã olímpica ou por títulos que conquistei, isso é besteira! Eu exijo respeito por ser Fabiana Marcelino Claudino, cidadã, um ser humano - escreveu Fabiana.

Mesmo na Turquia, Sheilla Castro, sua companheira na seleção, saiu em solidariedade à amiga. Em sua conta no Instagram, a oposta mostrou toda a sua incredulidade.

 

- Acho inadmissível ainda existir racismo. Minha amiga @fabiclaudino ontem no jogo na sua terra natal, sofreu isso com um torcedor. Fiquei muito revoltada e triste. Ainda bem que o Minas Tênis Clube retirou o indivíduo e encaminhou pra delegacia! Gente, não existe esse negocio de raça negra, branca, amarela... O que existe é raça humana! - postou.


compartilhar no