Natação

Thiago Pereira deixa rivalidade de lado e torce por retorno de Phelps às competições

Brasileiro diz que Jogos de 2016 'ficarão ainda mais especiais' com o americano
01/04/2014 15:05 - Atualizado em 01/04/2014 15:30
Por Francisco Junior
RIO

O noticiário esportivo mundial aponta a volta do nadador Michael Phelps, maior campeão olímpico da história, às competições como cada vez mais próxima. O americano, que é o grande rival de Thiago Pereira nas provas de medley, teria como objetivo principal disputar os Jogos de 2016, no Rio de Janeiro. O regresso do atleta, dono de 22 medalhas em Olimpíadas (18 de ouro), poderia significar temor para o brasileiro. No entanto, o seu sentimento é totalmente contrário.

- Estou torcendo para que o (Michael) Phelps volte com força total. Isso me motiva a melhorar minhas marcas, além de engradecer a Olimpíada. Formamos, junto com Ryan Lochte (americano detentor de 11 medalhas olímpicas, sendo cinco de ouro), a maior geração de todos os tempos do medley. Seria uma oportunidade de derrotá-lo mais uma vez, agora em casa. Ter o Phelps ao lado na mesma final olímpica me motiva bastante - afirmou Thiago Pereira, representante nacional com maior número de ouros em Jogos Pan-Americanos (12).

O nadador brasileiro não encarou a iminente volta de Michael Phelps como obstáculo. Em sua avaliação, o americano, quebrador de recordes mundiais (foram 37 em sua carreira), é um atleta que ainda tem idade para alcançar resultados expressivos. Mesmo classificando a decisão de aposentadoria do rival como pessoal, Thiago Pereira lembrou que, muitas vezes, o atleta perde motivação ou se cansa de treinar exaustivamente.

Veja mais: Thiago Pereira anuncia participação em seis provas no Troféu Maria Lenk

Além de ter a medalha de prata conquistada nos Jogos de Londres em seu currículo, o nadador do Sesi é o representante nacional com maior número de ouros em Jogos Pan-Americanos - Divulgação/Flávio PerezO fato de o Brasil ser o palco dos Jogos Olímpicos de 2016 pode ter sido um fator primordial para ele cogitar esse retorno. Em outubro de 2012, pouco tempo depois de se aposentar, Michael Phelps esteve no país, onde deu aula para vinte crianças na piscina da Vila Olímpica no Complexo do Alemão, e ficou encantado com a cidade. No caso de o retorno ser concretizado, ao lado de Usain Bolt (corredor jamaicano dono de seis ouros olímpicos), eles serão as grandes lendas vivas participando do evento no Rio de Janeiro.

- Ainda teremos a presença dos astros da NBA, mas certamente eles (Phelps e Bolt) serão os maiores nomes estrangeiros nos Jogos de 2016. Tenho certeza de que o Phelps vai deixar a Olimpíada do Rio de Janeiro ainda mais especial - reforçou.

A presença de Michael Phelps no Brasil seria sua quinta participação olímpica. Com apenas 15 anos, ele estreou em Sydney/2000, mas não ganhou medalha. Quatro anos depois, em Atenas, o americano conquistou seis ouros e dois bronzes. Em seguinda, em Pequim/2008, Phelps faturou o maior número de medalhas de ouro (oito) olímpicas em uma única edição e superou as sete do compatriota Mark Spitz, nos Jogos de Munique, em 1972. Na última edição, em Londres/2012, Phelps teve sua pior produção, com “apenas” quatro medalhas de ouro e duas de prata.

Michael Phelps é dono de 22 medalhas olímpicas e bateu 37 recordes mundiais em sua carreira - AFP

Veja mais: Michael Phelps está prestes a voltar a competir, informa ex-treinador


compartilhar no