Tênis de mesa

Brasileiro decacampeão universitário nos EUA descarta se tornar profissional no esporte

José Barbosa prefere seguir no rumo do 'Business', curso que está no último período
20/04/2013 08:50 - Atualizado em 20/04/2013 17:42
Por Francisco Junior
RIO

Sonhar em ser um atleta profissional e defender a seleção brasileira, ou ingressar em outra carreira? Essa dúvida não existe nos pensamentos de José Barbosa, mesatenista campeão universitário nos Estados Unidos. O brasileiro estuda “Business” (foco em administração, marketing e gestão) na “Texas Wesleyan University” e defende a equipe nos campeonatos universitários. Apesar de ficar entre “a cruz e a espada”, ele já definiu que não seguirá no mundo dos esportes.

- Chegar à seleção é algo que não está mais nos meus planos. Integrei a seleção brasileira sub-15 e sub-18 entre 2004 e 2008. Além disso, representei o Brasil na Universíade (Jogos Mundias Universitários) da China em 2011. Porém, para mim, o esporte sempre foi um abridor de portas - comentou.

José Barbosa, de 23 anos, está se formando neste semestre e conseguiu encerrar com chave de ouro sua participação no tênis de mesa dos Estados Unidos. Na final do campeonato nacional universitário, o brasileiro fechou o confronto diante do “Mississippi College” e garantiu o decacampeonato da Texas Wesleyan na competição.

- Vim para os Estados Unidos em 2010 porque recebi uma bolsa de estudos, através do tênis de mesa, da “Lindenwood University”. Após um semestre, devido ao meu bom desempenho na modalidade, fui convidado para a “Texas Wesleyan University” e participei da conquista de três títulos da equipe (2011, 12 e 13) - contou José.

Veja mais: Brasileiro conquista decacampeonato universitário nos Estados Unidos

José Barbosa exibe, todo orgulhoso, o troféu do décimo título consecutivo da “Texas Wesleyan University” – Arquivo pessoal/FacebookNa última edição, mais de 300 atletas de 35 universidades norte-americanas disputaram a competição. No total, foram seis brasileiros. Além de José Barbosa e Claudia Ikeizumi, também da “Texas Wesleyan”, havia outros quatro na “Lindenwood University” empunhando suas raquetes.

José Barbosa afirma: "Não dá para comparar o tênis de mesa brasileiro com o americano"

Na análise de José, o tênis de mesa disputado no Brasil “não passa no vestibular para ingressar no mundo universitário dos EUA”, principalmente em termos de organização e estrutura. Ele lembrou que até a alimentação é oferecida pelo torneio no próprio ginásio da competição.

- As partidas são transmitidas ao vivo durante todos os dias do torneio e ainda contam com a presença de comentaristas. A infraestrutura é fantástica. Sempre temos o mesmo número de mesas para aquecimento e jogo (foram 20 neste último torneio). Isso nunca acontece no Brasil, nem mesmo em torneio organizados pela Federação Internacional (ITTF, em inglês) - comparou.

Veja mais: Cazuo Matsumoto ganha destaque no site da Federação Internacional

Fã do alemão Dimitrij Ovtcharov, José Barbosa conta que morou com Cazuo Matsumoto na França, em 2009, e aponta o ex-companheiro de casa, melhor brasileiro no ranking mundial (45º lugar), como grande destaque do país no momento.

- Admiro muito o Cazuo Matsumoto por tudo que ele vem fazendo nos últimos anos. Sei o quanto ele é batalhador e merecedor de tudo isso que vem acontecendo - encerrou o paulista de Jundiaí, que não consegue resistir à saudade e viaja para o Brasil em todas as férias escolares para renovar suas energias recebendo os carinhos da família e dos amigos.

José Barbosa já defendeu as seleções de base do Brasil - Arquivo pessoal/Facebook

Veja mais: Além do futebol: Champions League também tem emoção nos esportes olímpicos


compartilhar no