Ginástica artística

Diego Hypolito revela: 'Flamengo voltou atrás com proposta descabida, inaceitável'

Ao ahe!, campeão mundial diz que clube tentou reduzir seus vencimentos em até 70%
21/03/2013 08:55 - Atualizado em 21/03/2013 14:23
Por Thiago Mendes
RIO

Após anunciar o fim das equipes adultas de ginástica e judô, o Flamengo voltou atrás e colocou na mesa uma proposta de redução salarial aos ginastas demitidos. A tentativa de acordo, que culminaria em um corte que chegaria a até 70% dos vencimentos dos atletas, foi feita no dia seguinte ao anúncio da demissão, há duas semanas. Com exclusividade ao ahe!, Diego Hypolito classificou a oferta como “descabida” e revelou que não pensou duas vezes em recusar.

Além de Diego, Daniele Hypolito, Jade Barbosa, Sérgio Sasaki, Petrix Barbosa e Caio Campos formam o time de demitidos pela cúpula da diretoria rubro-negra. Segundo o campeão mundial, todos os atletas receberam propostas semelhantes, com porcentagens que variam entre 30 e 50% de corte.

Veja mais: Flamengo destaca em comunicado 'decisão acertada' da nova diretoria

- No dia seguinte eles perceberam que a repercussão (da demissão) foi muito negativa e entraram em contato com a gente. Mas vieram com uma proposta completamente descabida, inaceitável. Parece que conseguiram um dinheiro com alguém e quiseram dividir entre todos no clube – disse.

Preocupação com o ciclo olímpico

Diego Hypolito não conseguiu medalha em Londres - Divulgação/COBMesmo diante de incertezas por conta da demissão, no entanto, Hypolito garantiu que a mágoa não passou de uma semana, e afirmou ainda que as suas portas sempre estarão abertas para o Flamengo. Para ele, propostas do Rubro-Negro serão bem aceitas e um retorno no futuro não está descartado.

- Embora tenha ficado muito chateado na época, não fecho nenhuma porta. Voltaria, sim, ao Flamengo, mesmo com essa diretoria que fez isso conosco. Temos que pensar em nós e caso surja algo bom, vamos avaliar e podemos aceitar, sem problemas – confessou.

Ainda sem clube e treinando provisoriamente no Pinheiros, em São Paulo, Diego comentou que algumas propostas já chegaram, mas explicou que a decisão precisa ser tomada com cautela. Para ele, o mais importante neste momento é firmar um acordo para o ciclo olímpico, que se encerrará nos Jogos do Rio, em 2016.

- Estamos pensando em fechar algum acordo para o ciclo. Não queremos mais viver na incerteza, como era na época do Flamengo, que tínhamos que renovar de ano a ano. Agora, nosso objetivo é conseguir um contrato de três anos e meio a quatro anos, para podermos trabalhar com a tranquilidade necessária que um ciclo olímpico exige – explicou.

Por fim, ele garantiu que não descarta ouvir propostas para treinar em outros lugares que não o Rio de Janeiro.

- Conseguimos um empresário que está cuidando de todas essas questões para nós. Ele sabe das nossas vontades e necessidades. Já tivemos algumas reuniões e algumas coisas estão encaminhadas. Tenho um carinho especial pelo Rio, mas não vou priorizar a cidade apenas por isso. Se aparecer uma proposta boa de outro lugar não há qualquer empecilho para aceitarmos – concluiu.

Diego com a equipe de ginastas demitidos - Fernanda Thurler/ahe!

Veja mais:
Esporte do Rio passa pela pior crise de sua história, diz dirigente

Renato Araújo faz apelo para manter equipe treinando no Rio: 'A gente quer ficar junto' 

compartilhar no