Break point

Temporada 2013 não deverá mostrar surpresas no top 4 do ranking

Argentino Juan Martín del Potro é o único com chances de "aprontar"
04/01/2013 18:33 - Atualizado em 04/01/2013 18:33
Por João Victor Araripe
SÃO PAULO

À exceção de Del Potro, é difícil acreditar em alguma grande surpresa que possa oferecer reais perigos ao top 4. O canadense Milos Raonic é candidato a furar o top 10, e o brasileiro Thomaz Bellucci terá de aproveitar as chances para atingir o tão sonhado top 20. Ano novo, nova temporada, novos objetivos. O que esperar do tênis em 2013? Muita emoção na briga pelo número 1 entre Murray e Djokovic, o desafio de Roger pela longevidade no circuito e a incerteza quanto ao retorno de Rafael Nadal.
 
Djokovic tentará se manter no topo do ranking pela terceira temporada consecutiva e, com um Nadal sem data de retorno e Federer encurtando seu calendário, o maior oponente do sérvio deverá ser Andy Murray, que tirou o peso dos ombros após a conquista do US Open.

O principal desafio de Djokovic será conseguir manter a impressionante consistência atingida nos últimos anos. Sem dúvidas, o principal foco será um inédito Roland Garros, que se torna ainda mais possível com a inevitável instabilidade de Rafael Nadal.

Ao contrário do número 1 do mundo, Federer demonstrou que priorizou a longevidade no circuito ao ranking. Com apenas 14 torneios confirmados na temporada, apesar dos rumores de uma possível participação na Basileia, o suíço terá um grande desafio: evitar quedas precoces. Com poucos torneios, o suíço não se pode dar o luxo de recorrentes “apagões”.

A principal meta deste Federer é se manter na briga pelos principais títulos, visando aumentar o número de conquistas e quebrar recordes dos quais ainda não teve oportunidade de bater.

O britânico Andy Murray está, oficialmente, na briga pelo número 1. Para atingir tal feito, o número 3 do mundo, atualmente o mais vulnerável do top 4, precisará atingir resultados constantes, vencer seus principais adversários ao decorrer da temporada, e ainda terá o desafio de melhorar seus resultados no saibro. Seu principal objetivo será conquistar seu segundo título de Grand Slam, de preferência, Wimbledon, pondo fim no histórico “jejum”.

E Rafael Nadal? O heptacampeão de Roland Garros, a princípio, deve cair algumas posições, mas a principal dúvida será quanto seu rendimento no saibro. Independentemente de qualquer lesão no joelho, Nadal terá como seu maior objetivo atingir o inédito oitavo título em Paris, para se consagrar como o rei do saibro. O principal desafio do espanhol , além de recuperar o ritmo, será conciliar calendário com o temor de causar maiores estragos no joelho.


compartilhar no
[an error occurred while processing this directive]