Taekwondo

Nomeado embaixador, Anderson Silva mostra arrependimento por deixar modalidade

Presidente da CBTKD pede para o lutador entrar no octógono do UFC vestindo o dobok
28/05/2012 21:58 - Atualizado em 04/06/2012 18:52
Por Francisco Junior
RIO

O campeão dos pesos médios do Ultimate Fighting Championship (UFC), Anderson Silva, foi nomeado, nesta segunda-feira, no Rio de Janeiro, embaixador do taekwondo. Ao chegar ao local do evento, totalmente ovacionado, Spider, como é conhecido no mundo do MMA, foi recepcionado por crianças, que entregaram ao lutador um boneco do homem-aranha.

Anderson começou no taekwondo aos sete anos e se tornou faixa preta aos 18. A grande variedade no estilo de lutar foi adquirida com a alta graduação em outras modalidades (muay-thai, jiu-jitsu e capoeira). Apesar do glamour do MMA, o fascínio pelos Jogos Olímpicos também tomou conta do Spider.

 

Veja mais: 'Precoce', Natália Falavigna mira o ouro às vésperas de sua terceira Olimpíada

- Para falar a verdade, eu me arrependo um pouco. Acredito que, caso continuasse treinando o taekwondo, poderia fazer parte de uma equipe que representasse o país. Infelizmente tive que seguir outro rumo. Mas o taekwondo está enraizado no meu estilo de lutar - disse o mestre, que ganhou mais um Dan (5º) em sua graduação no taekwondo.

Anderson Silva ao lado de outros esportistas e dirigentes - Francisco Junior/SHE!Como um bom esportista, o paulista, criado em Curitiba, revelou que estará atento aos Jogos Olímpicos de Londres e citou as modalidades que vai acompanhar.

 

Veja mais: Música gospel é a 'arma' de Falavigna para se concentrar antes das lutas

- Acompanho bastante as Olimpíadas. As modalidades que estou sempre por dentro são o boxe, o taekwondo e o futebol. Apesar da vontade, não sei se poderei estar em Londres para acompanhar de perto - contou.



Sabendo do amor de Anderson Silva pelo taekwondo, o presidente da CBTKD fez um pedido especial para Spider. O desejo de Carlos Fernandes é ver o lutador entrando no octógono do Ultimate vestindo o dobok (traje típico da modalidade) no combate contra o americano Chael Sonnen, no dia 7 de julho, ou em um próximo evento do UFC.

 

Veja mais: Márcio Wenceslau diz que ainda não está fora dos Jogos de Londres

- Entro (no octógono) com o maior carinho. É a modalidade que comecei e me deu uma base muito grande para a minha carreira. Vai depender dos patrocinadores, mas vou fazer o possível. Independentemente disso, o símbolo do taekwondo estará sempre presente comigo. Acreditem nisso - afirmou Anderson, que recebeu um dobok personalizado e a placa que lhe confere o título de embaixador da modalidade.


compartilhar no