Vôlei

Advertido após criticar árbitro no twitter, William Arjona se defende

Usuário das redes sociais, levantador do Sada Cruzeiro é favorável a mudanças no vôlei
23/01/2012 08:00 - Atualizado em 23/01/2012 10:03
Por Pamella Lima
RIO

William recebeu o apoio de torcedores e companheiros de quadra - Pamella Lima / AHEBom dia Vietnã! A expressão, que ficou eternizada no filme homônimo, interpretado por Robin Williams, é repetida todos os dias no twitter de William Arjona, levantador do Sada Cruzeiro. É desta forma que o camisa sete da equipe celeste começa a interagir com seus seguidores. Usuário das redes sociais, ele costuma postar links sobre política, economia e não somente algo sobre a rotina de um atleta de voleibol. O problema é que tanta espontaneidade pode ser perigosa. Na última sexta-feira, Arjona recebeu uma advertência da Confederação Brasileira de Vôlei por questionar em seu perfil os erros da arbitragem na derrota de seu time para o Vivo/Minas, pela oitava rodada da Superliga masculina. Em caso de reincidência, será aplicada uma multa de R$ 1 mil.

– Eu falei o que todos tinham vontade de falar - defendeu-se William: - Dou a minha cara para bater. Acho que vale muito mais se expressar e de repente tentar gerar um debate, como aconteceu. Minha intenção nunca foi diminuir o árbitro, ou dizer que a Confederação está errada. O voleibol é um esporte extremamente rápido, num nível muito alto de jogadores, marketing, televisão, patrocinadores e não dá mais para não ter tecnologia, porque envolve muita coisa. O Brasil é sempre o primeiro nas inovações, é um país de experiência e referência, por que não profissionalizar o árbitro? Uma bola decide um projeto enorme. Pelo estatuto, o erro foi meu de ter criticado. Eles estão dentro da regra.

O caso repercutiu imediatamente nas redes sociais, onde torcedores e companheiros de quadra condenaram a falta de liberdade de expressão e manifestaram apoio ao levantador.

– Em 1996, lembro que o Jorge Edisson tentou montar um sindicato dos atletas, mas o brasileiro é um pouco desunido. Não é fácil. As pessoas que se manifestaram – Bruno Rezende, Murilo e Gustavo - são atletas renomados, de seleção, então de repente pode ser um embriãozinho. Acho que deveríamos ter um representante dos atletas para decidir as regras, viagens, é preciso que nos escutem também – desabafou o camisa sete do Sada/Cruzeiro, reconhecendo o peso que suas palavras podem ter.

– Acho que todos nós somos formadores de opinião. Acredito muito nas mensagens positivas. É claro que, às vezes, você diz algo que as pessoas não estão preparadas para escutar. Acredito que as minhas palavras podem servir para muita gente, mas nem sempre agradamos a todos.

Leia mais: RJX leva a melhor sobre o Sada Cruzeiro no Maracanãzinho 

Levantador William recebeu apoio nas redes sociais Foto: reprodução/twitter


compartilhar no