Ciclismo

Há nove anos no Brasil, argentino Francisco Chamorro diz que ´ganhou em casa`

Campeão da Copa América é casado com uma brasileira e torce pelo Corinthians
08/01/2012 15:28 - Atualizado em 08/01/2012 21:24
Por Francisco Junior
RIO

Francisco Chamorro ergue o braço para comemorar sua vitória no Rio - Marcio Kato / MBraga ComunicaçãoCasado com uma publicitária brasileira, o argentino Francisco Chamorro, vencedor da XII Copa América de ciclismo, realizada neste domingo, no Aterro do Flamengo, sente-se um nativo no país. Com a experiência de viver no local há quase uma década, Chamorro, de 30 anos, garante que entende perfeitamente o português e acredita que consegue ser bem entendido. Após levantar o troféu de campeão do evento pela segunda vez (2009 e 2012), o hermano brincou.

- Ganhar aqui é como ganhar em casa. Já estou há muito tempo no país (nove anos) e sou casado com uma brasileira. Então, me sinto um brasileiro. Porém, não consigo perder meu sotaque – disse, bastante sorridente, logo na primeira pergunta da coletiva.

Leia mais: Com o título, argentino soma 40 pontos no ranking da UCI

Especialista em etapas mais curtas e de explosão, realizadas em trajetos planos, o sprintista Francisco Chamorro tem valiosas conquistas em seu currículo. Além do bicampeonato da Copa América, ele é o atual tricampeão da Copa da República. No fim do ano, trocou a equipe de São José dos Campos pela Padaria Real/Caloi/Céu Azul e, logo em sua primeira prova defendendo uma nova camisa, conquistou o título.

- Meus companheiros me protegeram bem até a última volta e consegui esse bom resultado. As fugas, que aconteceram bastante, complicaram um pouco. Tivemos que controlar isso mudando a estratégia a todo momento, até chegar a hora do sprint. E foi o que aconteceu. Assim, conseguimos a vitória – contou o atleta, que elogiou bastante o desempenho da Funvic/Marcondes Cesar/Gelog/Taruma/Pindamonhangaba, equipe que colocou dois atletas (Roberto Silva e Nilceu Santos) entre os cinco primeiros.

- A equipe de Pinda estava bem, mas nossa equipe estava preparada, viemos para conseguir a vitória e conseguimos. Estamos trabalhando para conquistarmos grandes resultados nessa temporada – analisou, logo após cruzar a linha de chegada, montada em frente ao Monumento aos Pracinhas.

Elogios ao circuito

Apesar dos acidentes durante a prova – um uruguaio foi levado por uma ambulância desacordado e um brasileiro quebrou um braço -, o vencedor da XII Copa América não viu problemas no circuito de 12,2 km.

- Foi uma prova com condições iguais para todos. Em minha opinião, o circuito estava perfeito. Não encontrei dificuldades - relatou.

Em 2003, o atleta nascido em La Plata, desembarcava no Brasil para defender a equipe paulista Caloi/Extra/Cairu. Apaixonado pelo Boca Juniors, o ciclista escolheu um time de massa para torcer no país.

- O Corinthians é meu segundo time do coração. Acho que escolhi o time pela torcida de massa, igual a do Boca. O Tevez e o Mascherano jogavam no Corinthians e eu comecei a acompanhar o time nessa fase. Isso aumentou minha paixão pelo clube - revelou o “quase” brasileiro Francisco Chamorro.

 


compartilhar no