Pentatlo moderno

Iniciação no pentatlo moderno diverte a criançada na Vila Militar, no Rio

Modalidade investe na revelação de novos talentos através do Projeto “Penta Jovem”
04/01/2012 12:49 - Atualizado em 04/01/2012 13:46
Por Francisco Júnior e Natalia da Luz
RIO

Crianças no Pentatlo Moderno - AHE!Eles têm entre 8 e 12 anos, mas já treinam feito gente grande. Uma hora para se exercitar é pouco para quem, mesmo na infância, quer ser um pentatleta. Na Vila Militar de Deodoro, no Rio de Janeiro, o grupo que esbanja fôlego passa a tarde dividindo-se entre natação, corrida e tiro esportivo (só quando merece). O "merece" pode ser entendido como um prêmio pela boa performance associada ao bom comportamento. Um estímulo a mais para as crianças experimentarem uma nova modalidade antes do hipismo e da esgrima, que formam os pilares do pentatlo, mas só serão praticados com intensidade mais tarde.       

 

Leila Linhares, de 11 anos, pratica pentatlo há apenas três meses, e nem pensa em sair. No colégio, sua matéria preferida é matemática. Em Deodoro, empolgada com o pentatlo, ela ainda não tem preferência. Gosta dos cinco esportes e, quando diz que pratica, todo mundo duvida da escola.

 

- Nem todo mundo conhece. Mesmo quando eu explico, eles não acreditam. Acham muita coisa - conta, manifestando ansiedade para treinar esgrima e hipismo, duas modalidades ainda pouco inseridas no treinamento dos jovens.    

Maria Ieda é apaixonada por cavalos. Essa proximidade toda é de longa data. Antes do pentatlo, ela praticava hipismo em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Mesmo com experiência, ela explica que há diferença entre montar em um cavalo do haras e em um do Centro de Treinamento de Deodoro.   

 

- Eu já até chorei porque fiquei com medo de cair. Os cavalos que eu montava eram diferentes, eram aqueles cavalos de mato, sabe? Aqui não. Dá mais medo - conta com desenvoltura, lembrando que o pai foi quem a apresentou ao esporte:   - Minha mãe achou que a gente não fosse ficar, porque a gente chegava e ia direto para a cama dormir de tanto sono, mas ficamos.  

 

 

Para garantir o futuro do pentatlo moderno brasileiro, a CBPM investe desde cedo na formação de novos talentos através do Projeto “Penta Jovem”. Vitor Cardoso, ex-atleta de natação, é o responsável por cuidar da iniciação da criançada na modalidade, algo feito com bom humor, em meio à brincadeiras que divertem os pequenos e ao mesmo tempo os ensinam a tomar gosto por um novo esporte.

 

Ian Amaral durante o Campeonato Brasileiro de Pentatlo - AHE! - Eu fico mais focado na parte básica da natação e da corrida. Vamos fazendo com que as crianças deixem de lado o futebol, o vôlei, o basquete e conheçam uma nova modalidade. Queremos a formação delas, o sucesso de cada um. Se não for como atleta, que seja como pessoa – disse Vítor, rodeado pelos alunos.  

 

A rotina inicial dos pequeninos no pentatlo moderno é baseada em correções. Uma vez ou outra, os “tios”, como são chamados carinhosamente, forçam um pouco mais. Com oito anos, as crianças já podem competir. 

 

- Nosso trabalho começa com a missão de fazer com que elas treinem, fazer com que elas aprendam as técnicas sem um perfil sério. Então, depois de uma certa idade, vamos aumentando as exigências – encerrou Vitor.


compartilhar no