Atletismo

Retrospectiva 2011: Título mundial credencia Fabiana Murer ao ouro olímpico

Atleta deixa definitivamente para trás episódio da perda das varas em Pequim
01/01/2012 09:09 - Atualizado em 01/01/2012 09:39
Por AHE!
RIO

Um voo de 4,85m em Daegu, na Coréia do Sul, bastou para que Fabiana Murer escrevesse seu nome na história do atletismo brasileiro. Ao ultrapassar o sarrafo, enterrou de vez o episódio da perda das varas nos Jogos de Pequim, em 2008, e assegurou ao Brasil a primeira medalha de ouro em Campeonatos Mundiais. Um feito que a coloca como forte candidata a também subir ao lugar mais alto do pódio em Londres, no ano que vem.

 

- Ao conquistar uma inédita medalha de ouro em Mundiais, mostrei que outros também podem conseguir. É possível. Mas tem que querer muito, se esforçar ao máximo - destacou Fabiana.

 

Após o Mundial, a brasileira diminuiu o ritmo compreensivamente e foi superada pela cubana Yarisley Silva nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, ficando com a medalha de prata. Nada que manchasse o 2011de Fabiana Murer, eleita pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) a melhor atleta da temporada, superando Fabiana Beltrame, do remo, e Maurren Maggi, do salto em distância.

 

- Ganhar esse troféu mostra que sou uma atleta constante e que estou em evolução. Não me acomodo, sempre procuro buscar coisas diferentes, saltar mais alto, melhorar minha técnica. Eu não posso me contentar com o que já fiz. Tenho que ir atrás de novos desafios porque só assim conseguimos conquistar novos títulos - ensinou Murer.

 

Maurren Maggi recupera confiança no Pan

 

Ela não é a única atleta a chegar com status de favorita a Londres. Campeã olímpica do salto em distância em 2008, nos Jogos de Pequim, Maurren Maggi se diz pronta para defender seu título. Embora tenha decepcionado no Mundial (queimou dois saltos e ficou longe da disputa por medalha), se redimiu no Pan-Americano ao saltar 6,94m e conquistar o tricampeonato.

 

 

O Pan de Guadalajara, aliás, foi excelente para o atletismo brasileiro. Foram dez ouros para o país na modalidade - um recorde - e 23 medalhas no total, igualando o desempenho no Pan-Americano do Rio de Janeiro.

 

Leia mais: Com recorde de ouros, atletismo brasileiro supera expectativas em Guadalajara

 

Um dos medalhistas de ouro no México foi Marilson Gomes dos Santos, que ganhou com facilidade os 10.000m. Porém, na São Silvestre, que encerrou a temporada brasileira, Marilson foi apenas o oitavo colocado. O melhor atleta do país na prova foi Damião de Souza em sétimo. Entre as mulheres, Cruz Nonata foi a sexta.


compartilhar no